Como fazer uma análise SWOT no planejamento estratégico empresarial

Não importa quão veloz e potente seja um carro. Se não tiver uma rota traçada, ele não chegará a lugar algum. Algo semelhante acontece com as empresas sem o planejamento estratégico empresarial adequado: elas ficam estagnadas.

Isso quando não acabam declarando falência. Aprender como fazer uma análise SWOT de qualidade é uma das maneiras de evitar estes destinos indesejáveis e garantir o sucesso de uma organização.

Continue a leitura e você vai ver:

  • O que é Análise SWOT?
  • Pra que serve a Análise SWOT?
  • Análise SWOT como fazer?
  • Livros sobre Análise Swot
  • Análise SWOT pronta. E agora, o que fazer?

O que é Análise SWOT?

A análise swot, também conhecida como matriz swot, matriz fofa ou análise fofa, é uma das ferramentas de planejamento estratégico empresarial mais utilizadas no mundo.

Para entender primeiramente o que é SWOT, saiba que a tradução de SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats) gera a versão em português FOFA (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças).

Basicamente, a Análise SWOT de uma empresa consiste em uma espécie de “raio X”, que resultará no levantamento e na avaliação estratégica de cada um dos pontos que compõem essa sigla.

Para que serve a Análise SWOT?

Esta análise estratégica é muito útil para a avaliação do ambiente interno e externo de uma empresa e para a análise de cenários do mercado no qual ela atua.

Basicamente, a SWOT tem o propósito de analisar, de uma maneira estruturada, as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças de uma empresa. Com o intuito de amenizar os impactos negativos e otimizar os impactos positivos de cada uma delas.

Ou seja, ao realizar a Análise SWOT de uma empresa é possível identificar o que ela tem para oferecer; o que ela precisa melhorar; quais condições ela pode aproveitar; e para quais situações ela deve se atentar para evitar prejuízos.

Como fazer uma Análise SWOT do jeito certo?

O primeiro passo passo para fazer esta análise é preencher o quadro swot, também conhecido como tabela swot. O quadro é composto por quatro quadrantes:

quadro de análise swot

Os dois quadrantes de cima são designados para o ambiente interno da organização. É ali que são dispostas as forças e fraquezas de uma empresa.

Os dois quadrantes de cima são designados para o ambiente interno da organização. É ali que são dispostas as forças e fraquezas de uma empresa.

Ou seja, para identificar os pontos fortes e fracos de uma empresa é preciso avaliar os componentes de seu ambiente interno, como mão-de-obra, estrutura, equipamentos, fornecedores, entre outros.

Seguem abaixo alguns exemplos de pontos que podem ser identificados nesta fase.

Possíveis pontos fortes de uma empresa

  • Mão de obra qualificada;
  • Equipamentos sofisticados;
  • Equipe de trabalho bem sincronizada;
  • Alta visibilidade da marca.

Possíveis pontos fracos de uma empresa

  • Equipe desmotivada;
  • Equipamentos danificados;
  • Alto custo de produção;
  • Baixa popularidade da marca.

Os dois quadrantes de baixo, por sua vez, ficam designados para o ambiente externo da organização. Neles serão dispostas as oportunidades e ameaças que podem impactar a empresa em questão.

Para identificar estes pontos é preciso avaliar algumas variáveis, como os macroambientes econômicos, políticos, socioculturais, e naturais.

Confira alguns exemplos de ameaças e oportunidades de uma empresa:

Possíveis ameaças de uma empresa

  • Crise econômica;
  • Mudanças na legislação;
  • Escassez de matéria-prima.

Possíveis oportunidades de uma empresa

  • Setor em crescimento;
  • Tecnologias inovadoras para oferecer;
  • Novos hábitos culturais para explorar (ex: ascensão do veganismo).

Livros sobre Análise SWOT

Não há um livro específico que marque o surgimento da Análise SWOT. Afinal, ela resultou de um processo, de um conjunto de pesquisas que foram aprimorando o conceito ao longo do tempo.

O americano Albert Humphrey, especialista em gestão organizacional do Instituto de Pesquisa de Stanford, foi o responsável pela ideia inicial. Aproximadamente na década de 70 ele criou o termo “Análise SOFT”.  

A sigla representava os termos: satisfactory (satisfatório), opportunity (oportunidade), failure (falha) e threat (ameaça). E a ferramenta passou pelo processo de análise e desenvolvimento de diversos pesquisadores até chegar ao seu atual modelo de Análise SWOT.

Se quiser saber um pouco mais sobre essa história, aprofundar ainda mais seus conhecimentos e conhecer a análise SWOT segundo autores especializados no assunto, segue a sugestão de alguns livros que podem te interessar:

  • Administração de Marketing – Philip Kotler
  • Administração Estratégica: conceitos, metodologia e práticas – Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira
  • Planejamento Estratégico na Prática – Adalberto A. Fischmann e Martinho Isnard Ribeiro de Almeida

Análise SWOT pronta. E agora? O que fazer?

A possibilidade de utilização da análise swot não pode ser desconsiderada na hora de montar o planejamento estratégico. Agora que você já sabe como fazer Análise SWOT, chegou a hora de descobrir o que fazer com os resultados obtidos.

Seu próximo passo será cruzar os dados identificados em cada quadrante, para definir as melhores estratégias para o seu negócio.

Avalie:

  • Como as forças identificadas podem ser úteis no aproveitamento das oportunidades e amenizar o impacto das fraquezas e ameaças?
  • Como as fraquezas podem tornar a empresa mais suscetível às ameaças, e prejudicar o aproveitamento das forças e oportunidades?
  • Como as ameaças podem potencializar as fraquezas, diminuir as forças ou atrapalhar o aproveitamento das oportunidades?
  • Como oportunidades podem amenizar as ameaças, combater as fraquezas e aumentar as forças identificadas?

Depois de responder tais questões, você terá base suficiente para traçar um planejamento estratégico coerente. Desta maneira será possível identificar e priorizar os reais objetivos e necessidades da sua empresa.

Está preparado para explorar a fundo seu negócio? Então canetas a mão e mãos à massa! Lembre-se: bases superficiais não mantém suas edificações estáveis.

Para mais dicas sobre planejamento e organização, veja também:

Artigos recentes

Comentários

Nenhum comentário ainda